Atividade física e pressão arterial em crianças obesas

  • André Everton de Freitas Universidade Federal de Minas Gerais
  • Bernardo Queiroz Veiga Sales Faculdade de Saúde e Ecologia Humana
  • Eduardo José Braga Faculdade de Saúde e Ecologia Humana
  • Nassur Barroso Zogheib Faculdade de Saúde e Ecologia Humana
  • Márcio Vinícius Lins de Barros Faculdade de Saúde e Ecologia Humana
  • Thiago Henrique de Oliveira Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais
  • Flávia Komatsuzaki Faculdade de Engenharia de Minas Gerais
  • Flávio de Oliveira Pires Universidade Federal do Maranhão
  • Joel Alves Lamounier Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais

Resumen

Objetivo: o presente estudo tem como objetivo avaliar o efeito crônico de um programa de atividade física nos valores de pressão arterial basal de escolares de seis a nove anos com sobrepeso e obesidade das escolas públicas do município de Ouro Preto, Minas Gerais. Método: Trata-se de um estudo clínico aleatorizado de intervenção, quase-experimental, duplo-cego, pragmático, tendo como unidade de estudo o indivíduo. Foram alocadas por aleatorização inconsciente em dois grupos: o grupo-intervenção (n=40) submetido à atividade física três vezes por semana de 50 minutos de duração e o grupo-controle (n=39) e acompanhados por quatro meses. A intensidade do exercício foi determinada por meio de espirometria de circuito aberto. A pressão arterial foi aferida três vezes, consecutivamente e a media foi utilizada. Setenta e nove crianças participaram do estudo intervencional. Resultado: Após a intervenção, não foram evidenciados efeitos significativos de um programa regular de atividade física sobre os níveis basais da Pressão Arterial de crianças obesas entre 6 e 9 anos. Conclusão: No presente estudo, não foram evidenciados efeitos significativos de um programa regular de atividade física sobre os níveis basais da Pressão Arterial de crianças obesas entre 6 e 9 anos.

Descargas

Los datos de descarga aún no están disponibles.

Citas

Cordova A, Villa G, Sureda A, Rodriguez-Marroyo JA, Sánchez-Collado MP. Actividad física y factores de riesgo cardiovascular de niños españoles de 11-13 años. Rev Esp Cardiol. 2010; 65(7): 620-26.

De Onis M, Blossner M, Borghi E. Global prevalence and trends of overweight and obesity among preschool children. Am J Clin Nutr. 2010; 92: 1257-64.

De Onis M, Onyango AW, Borghi E, Siyam A, Nishida C, Siekmann J. Development of a WHO growth reference for school-aged children and adolescents. Bull World Health Organ. 2007; 85:660-7.

Dobbins M, Husson H, DeCorby K, LaRocca RL. School-based physical activity programs for promoting physical activity and fitness in children and adolescents aged 6 to 18. The Cochrane Database of Systematic Reviews. 2013.

Farpour-Lambert NJ, Aggoun Y, Marchand LM, Martin XE, Herrmann FR, Beghetti M. Physical activity reduces systemic blood pressure and improves early markers of atherosclerosis in pre-pubertal obese children. J Am Coll Cardiol. 2009; 54(25): 2396-406.

Franks PW, Hanson RL, Knowler WC, Sievers ML, Bennett PH, Looker HC. Childhood Obesity, Other Cardiovascular Risk Factors, and Premature Death. N Engl J Med. 2010; 362(6): 485-93.

Freitas AE. Avaliação do impacto de um programa de atividade física na concentração plasmática de adipocitocinas e grelina em crianças obesas e com sobrepeso, de escolas públicas do município de Ouro Preto, MG. Tese [Doutorado em Saúde da Criança e do Adolescente]. Belo Horizonte – Universidade Federal de Minas Gerais, 2010.

Garcia-Hermoso A, Saavedra JM, Escalante Y. Effects of exercise on resting blood pressure in obese children: a meta-analysis of randomized controlled trials. Obes Rev. 2013;14:919-928.

Garrow JS, Webster J. Quetelet's index (W/H2): as a measure of fatness. Int J Obesity. 1985; 9:147-53.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. Rio de Janeiro, 2010.

Juonala M, Magnussen CG, Berenson GS, Venn A, Burns TL, Sabin MA, et.al. Childhood adiposity, adult adiposity and risk factors. N Engl J Med. 2011; 365(20): 1876-85.

Leary SD, Ness AR, Smith GD, Mattocks C, Deere K, Blair SN, Riddoch C. Physical Activity and Blood Pressure in Childhood: Findings From a Population-Based Study. Hypertension. 2008; 51:92-98;

Meyer AA, Kundt G, Lenschow U, Schuff-Werner P, Kienast W. Improvement of Early Vascular Changes and Cardiovascular Risk Factors in Obese Children After a Six-Month Exercise Program. J Am Coll Cardiol. 2006; 48:1865–70.

Nielsen GA, Andersen LB. The association between high blood pressure, physical fitness, and body mass index in adolescents. Prev Med. 2003;36:229–234.

Organização Mundial de Saúde. Prevalence of overweight and obesity in children and adolescents. Geneva: WHO, 2009. Disponível em: www.euro.who.int/ENHIS. Acesso em: 23 set. 2012.

Poeta LS, Duarte MFS, Giuliano ICB, Mota J. Interdisciplinary intervention in obese children and impact on health and quality of life. J. Pediatr. 2013; 89:499-504.

Raj M. Obesity and cardiovascular risk in children and adolescents. Indian J Endocr Metab. 2012; 16(1): 13-19.

Ribeiro MM, Silva AG, Santos NS, et al. Diet and exercise training restore blood pressure and vasodilatory responses during physiological maneuvers in obese children. Circulation. 2005;111:1915–23.

Salgado CM, Carvalhaes JT. Hipertensão arterial na infância. J. Pediatr. 2003; 79(1): 115-124.

Sociedade Brasileira de Cardiologia / Sociedade Brasileira de Hipertensão /

Sociedade Brasileira de Nefrologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol. 2010; 95:1-51.

Sorof JM, Lai D, Turner J, et al. Overweight, ethnicity, and the prevalence of hypertension in school-aged children. Pediatrics. 2004;113:475–82.

Torrance B, McGuire KA, Lewanczuk R, McGavock J. Overweight, physical activity and high blood pressure in children: a review of the literature. Vasc Health and Risk Management. 2007; 3:139-149;
Publicado
Dec 28, 2016
Cómo citar
Everton de Freitas, A., Queiroz Veiga Sales, B., Braga, E., Barroso Zogheib, N., Lins de Barros, M., Henrique de Oliveira, T., Komatsuzaki, F., de Oliveira Pires, F., & Alves Lamounier, J. (2016). Atividade física e pressão arterial em crianças obesas. EducacióN FíSica Y Ciencia, 18(2), e010. Consultado de http://www.efyc.fahce.unlp.edu.ar/article/view/EFyCe010/7894
Sección
Artículos

Palabras clave

Obesidade pediátrica; Pressão arterial; Atividade motora