Antropometria e desempenho motor de atletas de Futebol de 7

Resumen

Introdução: O futebol de 7 é um esporte intermitente no qual a capacidade de força é evidenciada, tornando a avaliação desta e outras capacidades essenciais para o alcance do desempenho esportivo. Objetivo: O objetivo deste estudo foi identificar o perfil antropométrico e do desempenho motor, por classe funcional e posição de atletas da seleção brasileira de futebol de 7. Metodologia: A amostra foi composta por 16 atletas. Na avaliação antropométrica foi medido: MC, estatura, IMC, pregas cutâneas e circunferência abdominal. Para o desempenho motor foram utilizados: saltos verticais, agilidade 10 x 5 e RAST test. Resultados: As variáveis antropométricas apresentaram média da MC de 69,6±7,3, IMC de 19,9±1,9, somatória de nove pregas 88,8±35,4 e %G 10,6±5,4. O desempenho motor apresentou resultados para agilidade de 18,9±1,1, Countermovement jump 33,4±8, Squat jump 31,6±7,6 e potência média 6,3±1,5. Conclusão: Os resultados se apresentaram adequados para atletas de alto rendimento e o desempenho motor sofreu influências da classe funcional.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor

Fernando Rosch de Faria, Universidade Estadual de Campinas

Aluno de Doutorado, membro do Laboratório de Avaliação Física no Exercício e Esporte Adaptados (LAFEA) da Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP, Campinas, SP. Brasil.

Mariane Borges, Universidade Estadual de Campinas

Aluna de Doutorado, membro do Laboratório de Avaliação Física no Exercício e Esporte Adaptados (LAFEA) da Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP, Campinas, SP. Brasil.

Jéssica Reis Buratti, Universidade Estadual de Campinas

Aluna de Mestrado, membro do Laboratório de Avaliação Física no Exercício e Esporte Adaptados (LAFEA) da Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP, Campinas, SP. Brasil.

Claudio Diehl Nogueira, Universidade Castelo Branco

Mestre, Docente na Faculdade de Educação Física, Universidade Castelo Branco. Rio de Janeiro, RJ. Brasil.

Ivaldo Brandão Vieira, Universidade católica de Murcia -UCAM - Espanha; Comitê Paralímpico Brasileiro - CPB

Aluno de Doutorado Universidade Católica San Antonio de Murcia -UCAM, Murcia, Espanha. Comitê Paralímpico Brasileiro – CPB, São Paulo, SP, Brasil.

Priscila Samora Godoy, Universidade Estadual de Campinas

Mestre em Educação Física pela Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Campinas, SP. Brasil.

José Irineu Gorla, Universidade Estadual de Campinas

Professor Livre Docente do Departamento de Estudos da Atividade Física Adaptada, Coordenador do Laboratório de Avaliação Física no Exercício e Esporte Adaptados (LAFEA) da Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP, Campinas, SP. Brasil.

Citas

Bosco, C., Luhtanen, P., & Komi, P. V. (1983). A simple method for measurement of mechanical power in jumping. Eur J Appl Physiol Occup Physiol, 50(2), 273–282.

Costa e Silva, A. A., Gorla, J. I., & Costa, L. T. (2010). Avaliação Motora em Esporte Adaptado. In A. F. Machado (Org.), Manual de Avaliação Física (1o ed, p. 227–247). São Paulo: Ícone.

Cruz, P. (2012). Futebol de Sete. In M. T. de; Mello & C. Winckler (Orgs.), Esporte Paralímpico (1a, p. 1–256). São Paulo: Atheneu.

Damiano, D. L., & Abel, M. F. (1998). Functional outcomes of strength training in spastic cerebral palsy. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation, 79(2), 119–125. http://doi.org/10.1016/S0003-9993(98)90287-8

Denadai, B. S. (2002). Determinação do limiar anaeróbio em jogadores de futebol com paralisia cerebral e nadadores participantes da paraolimpíada de Sidney 2000. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 8(3), 117–121. http://doi.org/10.1590/S1517-86922002000300009.

Do Prado, W. L., Botero, J. P., Guerra, R. L. F., Rodrigues, C. L., Cuvello, L. C., & Dâmaso, A. R. (2006). Perfil antropométrico e ingestão de macronutrientes em atletas profissionais Brasileiros de futebol, de acordo com suas posições. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 12(2), 61–65. http://doi.org/10.1590/S1517-86922006000200001.

Guedes, D. P., & Guedes, J. E. R. P. (2006). Manual prático para avaliação em Educação Física (1o ed). Barueri: Manole.

IFCPF, I. F. of C. P. F. (2015a). Classification Rulebook. International Federation of Cerebral Palsy Football. Worcester, South Africa. Recuperado de http://www.ifcpf.com/static/upload/raw/d4e7103a-d030-bef3-9eb6-51c529bd60e4/IFCPF+Classification+Rules+2015.pdf

IFCPF, I. F. of C. P. F. (2015b). CP Football Rules and Regulation. International Federation of Cerebral Palsy Football. Worcester, South Africa. Recuperado de http://www.ifcpf.com/static/upload/raw/1c9262a9-613f-55b0-799d-f3c8c408d692/IFCPF+CP+Football+Rules+and+Regulation+version+January+2015.pdf

Jackson, A., & Pollock, M. (1978). 497 Generalized equations for predicting body density of men. british journal of nutrition, 40(1), 497–504.

Kloyiam, S., Breen, S., Jakeman, P., Conway, J., & Hutzler, Y. (2011). Soccer-specific endurance and running economy in soccer players with cerebral palsy. Adapted Physical Activity Quarterly, 28(4), 354–367.

Krigger, K. W. (2006). Cerebral Palsy : An Overview. American Family Physician, 73(1), 90–100.

Lima, C. B. N., Martins, M. E. F., Liberali, R., & Navarro, F. (2009). Estado nutricional de jogadores de futebol profissional. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 3(18), 562–569. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/viewFile/155/153

Mattos, E. (2013). Atividade física nos distúrbios neurológicos e musculares. In M. Greguol & R. F. Costa (Orgs.), Atividade Fisica Adaptada (3o ed, p. 221–253). Barueri: Manole.

Norton, K., & Olds, T. (2005). Atropométrica. Porto Alegre: Artmed.

Osiecki, R., Glir, F. G., Fornaziero, A. M., Cunha, R. C., & Dourado, A. C. (2007). Parâmetros antropométricos e fisiológicos de atletas profissionais de futebol. Revista da Educação Física/UEM, Maringa, 18(2), 177–182.

Ravensbergen, H. R. J. C., Lear, S. A., & Claydon, V. E. (2014). Waist circumference is the best index for obesity-related cardiovascular disease risk in individuals with spinal cord injury. Journal of neurotrauma, 31(3), 292–300. http://doi.org/10.1089/neu.2013.3042

Ronnestad, B. R., Kvamme, N. H., Sunde, A., & Raastad, T. (2008). Short-term effects of strength and plyometric training on sprint and jump performance in professional soccer players. Journal of strength and conditioning research, 22(3), 773–80. http://doi.org/10.1519/JSC.0b013e31816a5e86

Silva, A. C., & Andrade, M. D. S. (2002). Avaliação isocinética em atletas paraolímpicos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. http://doi.org/10.1590/S1517-86922002000300006

Siri, W. E. (1961). Composition from fluid spaces and density: analisys of methods. In J. Brozek & A. Henschel (Orgs.), Techniques for measuring body composition (Vol. 61, p. 223–244). Washington: National Academy of Science.

Souza, V. amorim F. A., Pires, F. de O., Silva, A. E. L., & Bertuzzi, R. (2012). Relação entre o desempenho no Running-Based Anaerobic Sprint Test (RAST) e a altura do salto vertical, salto horizontal e agilidade em Futebolistas. Revista Acta Brasileira do Movimento Humano, 2(1), 34–42.

Stolen, T., Chamari, K., Castagna, C., & Wisløff, U. (2005). Physiology of Soccer. Sports Medicine, 35(6), 501–536. http://doi.org/10.2165/00007256-200535060-00004

WHO. (2000). Obesity: preventing and managing the global epidemic: Report of a World Health Organization Consultation (WHO technical report series ; 894). WHO Consultation on Obesity. Geneva, Switzerland.

Yanci, J., Castagna, C., Los Arcos, A., Santalla, A., Grande, I., Figueroa, J., & Camara, J. (2016). Muscle strength and anaerobic performance in football players with cerebral palsy. Disability and Health Journal, 9, 313–319.

Yanci, J., Los Arcos, A., Grande, I., Santalla, A., Figueroa, J., Gil, E., & Cámara, J. (2014). Capacidad de salto en futbolistas con parálisis cerebral. Revista Internacional de Medicina y Ciencias de la Actividad Fisica y del Deporte, 14(54), 199–211.

Zacharogiannis, E., Paradisis, G., & Tziortzis, S. (2004). An evaluation of tests of anaerobic power and capacity. Medicine & Science in Sports & Exercise, 36(5), 116.
Publicado
2018-10-31
Cómo citar
Rosch de Faria, F., Borges, M., Buratti, J., Nogueira, C., Vieira, I., Godoy, P., & Gorla, J. (2018). Antropometria e desempenho motor de atletas de Futebol de 7. Educación Física Y Ciencia, 20(4), e061. https://doi.org/10.24215/23142561e061
Sección
Artículos