Aprendizagem profissional de gestores de federações esportivas catarinenses no ambiente educaciona

  • Ricardo Teixeira Quinaud Univerisidade Federal de Santa Catarina, (Brasil)
  • Michel Milistetd Federal University of Santa Catarina, (Brasil)
  • Juarez Vieira do Nascimento Federal University of Santa Catarina, (Brasil)

Resumen

El estudio descriptivo exploratorio, de abordaje cualitativo, intentó verificar los contextos y contenidos de aprendizaje vivenciados por los gestores de federaciones deportivas catarinenses en el ambiente educativo. Se entrevistaron a 12 gestores de federaciones deportivas cuyas palabras fueron transcritas y analizadas por medio de las técnicas de análisis temático. En el contexto de la formación inicial, mientras que los gestores formados en Educación Física presentaron contenidos sobre conocimientos técnicos de la modalidad y organización de eventos, los gestores con formaciones en otras áreas relataron contenidos de conceptos administrativos, relación con clientes y gestión empresarial. Las reglas de las modalidades y la organización de competiciones son los contenidos frecuentemente abordados en el contexto de los cursos de actualización. En el contexto de los cursos de post-graduación han contemplado contenidos de visión empresarial, las habilidades gerenciales y las relaciones interpersonales. Ante las potencialidades de los contextos, se recomienda la ampliación de la oferta de disciplinas específicas de gestión deportiva en la formación inicial y la oferta de cursos de maestría profesional.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Amaral, C. M. d. S., & Bastos, F. d. C. (2015). O gestor esportivo no Brasil: revisão de publicações no país. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, 5(1), 68-78.

Barbu, M. C. R., & Craciun, L. (2012). Considerations on managerial ethics in sports organizations. Management & Marketing Journal, 10(1), 59-68.

Barros Filho, M. A., Pedroso, C. A. M. Q., Fatta, G. L., Luiggi, G., Lima, G. A., Henrique, W., Silva, T. C. A., & Rocha, V. L. S. (2013). Perfil do gestor esportivo Brasileiro: uma revisão de literatura. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, 3.

Bastos, F. C. (2004). Administração Esportiva: área de estudo, pesquisa e perspectivas no Brasil. Motrivivência, 15(20-21), 295-306.

Bastos, F. C., Barhum, R. A., Alves, M. V., Bastos, E. T., Mattar, M. F., Rezende, M. F., Mardegan, M., & Bellangero, D. (2006). Perfil do administrador esportivo de clubes de São Paulo/Brasil. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, 5(1), 13-22.

Bedwell, W. L., Fiore, S. M., & Salas, E. (2014). Developing the future workforce: An approach for integrating interpersonal skills into the MBA classroom. Academy of Management Learning & Education, 13(2), 171-186.

Belzer, A. (2004). "It's not like normal school": The role of prior learning contexts in adult learning. Adult Education Quarterly, 55(1), 41-59. doi: https://10.1177/0741713604268893

Brasil, (2009). Portaria normativa no 7 de 22 d ejunho de 2019. Dispõe sobre o mestrado profissional no âmbito da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES.

Braun, V., & Clarke, V. (2006). Using thematic analysis in psychology. Qualitative research in psychology, 3(2), 77-101.

Bridgstock, R. (2009). The graduate attributes we’ve overlooked: Enhancing graduate employability through career management skills. Higher Education Research & Development, 28(1), 31-44.

Cárdenas, A. R., & Feuerschütte, S. G. (2015). A gestão na formação inicial em educação física: um olhar qualitativo sobre currículos, disciplinas e ementas dos cursos de bacharelado de Santa Catarina. Criar Educação, 4(1), 10-26.

Caupin, G., Knoepfel, H., Koch, G., Pannenbäcker, K., Pérez-Polo, F., & Seabury, C. (2006). ICB - IPMA Competence Baseline (Vol. Version 3.0). Netherlands: International Project Management Association.

CONFEF, (2002). Resolução n. 46, de 18 de fevereiro de 2002. Dispõe sobre a Intervenção do Profissional de Educação Física e respectivas competências e define os seus campos de atuação profissional. Rio de Janeiro, 18 de fevereiro de 2002. Disponível em: http://www.confef.org.br/extra/resolucoes/conteudo.asp?cd_resol=82 . Acesso em: 11 abril 2017.

Conklin, J., Kyle, T., & Robertson, C. (2012). The essential transformation: How Masters students make sense and learn through transformative change. Management Learning, 44(2), 161-178.

Delgado, S. C., Marín, B. M., & Sanchez, J. R. (2011). Métodos de investigación y análisis de datos em ciencisa sociales y de la salud. España: Pirámide.

Felix, C. A. F., Fernandes, A. S., & Oliveira, P. W. S. (2015). Competências gerenciais da equipe do comitê organizador dos jogos Pan-Americanos Rio 2007. Catussaba - Revista Científica da Escola da Saúde, 4(3), 19-26.

Gibbs, G. R. (2009). Análise de dados Qualitativos. Porto Alegre: Artmed.

Gil, A. C. (2008). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social (6 Ed. ed.). São Paulo: Atlas.

Gomes, J. L. d. B., Sarmento, J. P., & Pedroso, C. A. M. Q. (2014). Competências, perfil e formação do gestor esportivo de academia de ginástica: uma revisão. Resvista Intercontinental de Gestão Desportiva, 4(1), 99-112.

Hinchliffe, G. W., & Jolly, A. (2011). Graduate identity and employability. British Educational Research Journal, 37(4), 563-584.

Illeris, K. (2007). How we Learning: learning and non-learning in school and beyond. New York: Routledge.

Illeris, K. (2009). Transfer of learning in the learning society: How can the barriers between different learning spaces be surmounted, and how can the gap between learning inside and outside schools be bridged? International Journal of Lifelong Education, 28(2), 137-148.

Jackson, D. (2014). Skill mastery and the formation of graduate identity in Bachelor graduates: evidence from Australia. Studies in Higher Education, 41(7), 1313-1332.

Joaquim, B. A., Batista, P. M., & Carvalho, M. J. (2011). Revisão Sistemática sobre o perfil de competências do gestor desportivo. Movimento, 17(1), 255.

Maciel, R. G. A., & Nogueira, H. G. P. (2012). Mestrado profissional: desenvolvimento pessoal e profissional. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 9(17), 461-487.

Marjoribanks, T., & Farquharson, K. (2016). Contesting competence Chief executive officers and leadership in Australian Football League clubs. Marketing Intelligence & Planning, 34(2), 188-202. doi: https://10.1108/mip-09-2014-0171

Martins, R. X., & Ribeiro, C. M. (2013). Mestrado profissional em Educação e inovação na prática docente. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 10(20), 423-446.

Mazzei, L. C., Amaya, K., & Bastos, F. C. (2013). Programas acadêmicos de graduação em gestão do esporte no Brasil. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, 12(1), 219-234.

Mazzei, L. C., & Rocco Júnior, A. J. (2017). Um ensaio sobre a Gestão do Esporte: Um momento para a sua afirmação no Brasil. Revista de Gestão e Negócios do Esporte, 2(1), 96-109.

Mintzbarg, H. (2010). Managing: desvendando o dia a dia da gestão. Porto Alegre: Bookman.

Miranda, M. G., Novaes, A. M. P., & Avelar, K. E. S. (2013). Mestrado profissional interdisciplinar em desenvolvimento local: uma proposta inovadora. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 10(20), 451-474.

Miranda, Y. d. H. B., Barros Filho, M. A., Silva, V. H. R., Figueirêdo, J. d. M. C., & Pedroso, C. A. M. Q. (2017). Análise acerca das competências necessárias para a atuação profissional do gestor esportivo. Pensar a Prática, 20(3), 593-603.

Mocsányi, V., & Bastos, F. C. (2005). Gestão de pessoas na administração esportiva: considerações sobre os principais processos. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, 4(4), 55-69.

Montagner, P. C., Scaglia, A. J., & Amaya, K. G. (2012). Desafios da formação em esporte para intervenção profissional no contexto da gestão: investigações iniciais. In J. V. Nascimento & G. O. Farias (Eds.), Construção da identidade profissional em Educação Física: da formação à intervenção. Florianópolis: UDESC.

Pacesa, N., Zakarevicius, P., & Zukauskas, P. (2011). The profile of Lithuanian manager. Problems and Perspectives in Management, 9(1), 59-70.

Pilatti, L. A., Morais Costa, J., Schirlo, A. C., Silva, S. d. C. R., Pinheiro, N. A. M., & Frasson, A. C. (2015). Mestrado profissional em Ensino de Matemática: identificação de seus produtos educacionais. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 12(28), 335-356.

Pitts, B., & Stotlar, D. (2002). Fundamentos de marketing esportivo. São Paulo: Phorte.

Pizani, J., & Barbosa-Rinaldi, I. P. (2014). Identidade dos cursos de licenciatura e bacharelado em Educação Física no Paraná: uma análise das áreas do conhecimento. Revista Brasileira deEducação Física e Esporte, 28(4), 671-682.

Ruas, R., & Comini, G. M. (2007). Aprendizagem e desenvolvimento de competências: articulando teoria e prática em programas de pós-graduação em formação gerencial. Cadernos EBAPE. br, 5(SPE), 01-14.

Sparkes, A. C. & Smith, B. (2014). Qualitative Research Methods in Sport, Exercise and Health: from the process tro product. Abingdon: Routledge.

Thomas, J. & Nelson, J. (2002). Métodos de pesquisa em atividade física. Porto Alegre: Artmed.

Vilela, R. B., & Batista, N. A. (2015). Mestrado Profissional em Ensino na Saúde no Brasil: avanços e desafios a partir de políticas indutoras. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 12(28), 307-331.
Publicado
2019-12-19
Cómo citar
Quinaud, R., Milistetd, M., & Nascimento, J. (2019). Aprendizagem profissional de gestores de federações esportivas catarinenses no ambiente educaciona. Educación Física Y Ciencia, 21(3), e092. https://doi.org/10.24215/23142561e092
Sección
Artículos