Atuação do profissional de educação física na saúde do trabalhador em um hospital universitário

  • Lidiane Gomes Tavares da Silva Hospital Universitário de Brasília (HUB), Universidade de Brasília (UnB), (Brasil)
  • Cariele de Aguiar Freitas Universidade de Brasília (UnB), Faculdade de Ceilândia (FCE), (Brasil)
  • Patrícia Azevedo Garcia Universidade de Brasília (UnB), Faculdade de Ceilândia (FCE), (Brasil)
  • Aline Teixeira Alves Universidade de Brasília (UnB), Faculdade de Ceilândia (FCE), (Brasil)
  • Liana Barbaresco Gomide Matheus Universidade de Brasília (UnB), Faculdade de Ceilândia (FCE), (Brasil)

Resumen

Nas últimas décadas ocorreram diversas transformações no ambiente de trabalho que têm repercutido na saúde do trabalhador. O ambiente hospitalar, reconhecido como um ambiente infectocontagioso e insalubre, é também um local em que profissionais trabalham desenvolvendo atividades repetitivas, uso prolongado de um mesmo posicionamento, ritmo exaustivo de trabalho, inclusive com regime de plantões, carga horária elevada, turno noturno, sobrecarga de trabalho e outras condições de trabalho, que em médio e longo prazo podem causar diversos prejuízos funcionais. Nesse sentido, foi planejado e implementado um programa de exercícios físicos para saúde do trabalhador, com a supervisão de um profissional de educação física, direcionado aos funcionários do hospital, composto por avaliação física periódica para acompanhamento da composição corporal e exercícios Pilates e Circuito para melhoria da qualidade de vida no trabalho e realização de pesquisa científica no ambiente interdisciplinar. Esse artigo é um relato de experiência para divulgação da atuação do profissional de educação física em um hospital universitário.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Andrade, A. M. De, Reuter, C. P., Reckziegel, M. B., Pohl, H. H., & Burgos, L. T. (2015). Ginástica Laboral : efeitos de um programa de ginástica laboral sobre a flexibilidade em trabalhadores de diversos setores de um hospital de ensino da região do Vale do Rio Pardo / RS. Cinergis, 16(3), 209–213.

Antunes, L. C., Levandovski, R., Dantas, G., Caumo, W., & Hidalgo, M. P. (2010). Obesity and shift work: Chronobiological aspects. Nutrition Research Reviews, 23(1), 155–168.

Associação Brasileira para o estudo da obesidade e da síndrome metabólica (ABESO). (2016). Diretrizes brasileiras de obesidade 2016. VI Diretrizes Brasileiras de Obesidade, 7–186.

Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica. (2009). Diretrizes Brasileiras da Obesidade 2009/2010. Retrieved from http://www.abeso.org.br/pdf/diretrizes_brasileiras_obesidade_2009_2010_1.pdf

Bocalini, D. S., Lima, L. S., de Andrade, S., Madureira, A., Rica, R. L., dos Santos, R. N. Pontes, F. L. (2012). Effects of circuit-based exercise programs on the body composition of elderly obese women. Clinical Interventions in Aging, 7, 551–556.

Bonini-Rocha, A. C., de Andrade, A. L. S., Moraes, A. M., Gomide Matheus, L. B., Diniz, L. R., & Martins, W. R. (2018). Effectiveness of Circuit-Based Exercises on Gait Speed, Balance, and Functional Mobility in People Affected by Stroke: A Meta-Analysis. PM and R, 10(4), 398–409.

Cerri, N. C., Arthur, A. C., Vieira, L. M., Silva, A. E. F. da, Baba, C. T., Oliveira, I. M. Gomes, G. A. de O. (2016). Programa de Caminhada em Unidades de Saúde da Família de um contexto de alta vulnerabilidade social. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, 22(1), 100–105.

Cruz, J. C., Liberali, R., Cruz, T. M. F. da, & Netto, M. I. A. (2016). The Pilates method in the rehabilitation of musculoskeletal disorders: a systematic review. Fisioterapia Em Movimento, 29(3), 609–622.

De Luca, V., Minganti, C., Borrione, P., Grazioli, E., Cerulli, C., Guerra, E., Kwakkel, G. (2006). Combined aerobic and resistance training in breast cancer survivors: A randomized, controlled pilot trial. International Journal of Sports Medicine, 27(7), 573–580. https://doi.org/10.1055/s-2005-865848

Elias, M. A., & Navarro, V. L. (2006). A relação entre o trabalho, a saúde e as condições de vida: negatividade e positividade no trabalho das profissionais de enfermagem de um hospital escola. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 14(4), 517–525.

Garnacho-Castano, M. V., Domínguez, R., Muñoz González, A., Feliu-Ruano, R., Serra-Payá, N., & Maté-Muñoz, J. L. (2018). Exercise Prescription Using the Borg Rating of Perceived Exertion to Improve Fitness. International Journal of Sports Medicine, 39(2), 115–123.

Jackson, A. S. & Pollock, M. L. (1978). Generalized equations for predicting body density of men. British journal of nutrition, 40(3), 497-504.

Jackson, A. S., Pollock, M. L. & Ward, A. N. N. (1980). Generalized equations for predicting body density of women. Medicine and science in sports and exercise, 12(3), 175-181.

Jakobsen, M. D., Sundstrup, E., Brandt, M., Jay, K., Aagaard, P., & Andersen, L. L. (2015). Physical exercise at the workplace prevents deterioration of work ability among healthcare workers: Cluster randomized controlled trial. BMC Public Health, 15(1), 1–9.

Laux, R. C., Corazza, S. T., & Andrade, A. (2018). Workplace physical activity program: An intervention proposal. Revista Brasileira de Medicina Do Esporte, 24(3), 238–242.

Lee, I. M., Shiroma, E. J., Lobelo, F., Puska, P., Blair, S. N., Katzmarzyk, P. T., Wells, J. C. (2012). Effect of physical inactivity on major non-communicable diseases worldwide: An analysis of burden of disease and life expectancy. The Lancet, 380(9838), 219–229.

Lima, V. A. de, Aquilas, A. L., & Junior, M. F. (2009). Efeitos de um programa de exercícios físicos no local de trabalho sobre a flexibilidade e percepção de dor musculoesquelética entre trabalhadores de escritório. Revista Brasileria de Medicina do Trabalho, 7, 11–17.

Loitz, C. C., Potter, R. J., Walker, J. L., McLeod, N. C., & Johnston, N. J. (2015). The effectiveness of workplace interventions to increase physical activity and decrease sedentary behaviour in adults: Protocol for a systematic review. Systematic Reviews, 4(1), 1–8.

Marques, N. R., Haallal, C. Z., & Gonçalves, M. (2010). Características biomecânicas, ergonômicas e clínicas da postura sentada: uma revisão. Fisioterapia e Pesquisa, 17(3), 270–276.

Mazzarino, M., Kerr, D., Wajswelner, H., & Morris, M. E. (2015). Pilates Method for Women’s Health: Systematic Review of Randomized Controlled Trials. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation, 96(12), 2231–2242.

Miller, M. B., Pearcey, G. E. P., Cahill, F., McCarthy, H., Stratton, S. B. D., Noftall, J. C., Button, D. C. (2014). The Effect of a Short-Term High-Intensity Circuit Training Program on Work Capacity, Body Composition, and Blood Profiles in Sedentary Obese Men: A Pilot Study. BioMed Research International, 2014, 1–10.

Myers, T. R., Schneider, M. G., Schmale, M. S., & Hazell, T. J. (2015). Whole-body aerobic resistance training circuit improves aerobic fitness and muscle strength in sedentary young females. The Journal of Strength & Conditioning Research, 29(6), 1592-1600.

Oakman, J., Neupane, S., Proper, K. I., Kinsman, N., & Nygård, C. H. (2018). Workplace interventions to improve work ability: A systematic review and meta-analysis of their effectiveness. Scandinavian Journal of Work, Environment and Health, 44(2), 134–146.

Rezende, F. A. C., Rosado, L. E. F. P. L., Ribeiro, R. D. C. L., Vidigal, F. D. C., Vasques, A. C. J., Bonard, I. S., & Carvalho, C. R. De. (2006). Índice De Massa Corporal E Circunferência Abdominal: Associação Com Fatores De Risco Cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 87(6), 728–734.

Rodrigues, E. V., Gomes, A. R. S., Tanhoffer, A. I. P., & Leite, N. (2014). Effects of exercise on pain of musculoskeletal disorders: a systematic review. Acta Ortopédica Brasileira, 22(6), 334–338.

Rodrigues, M. N., Silva, S. C. da, Monteiro, W. D., & Farinatti, P. de T. V. (2006). Estimativa da gordura corporal através de equipamentos de bioimpedância, dobras cutâneas e pesagem hidrostática. Revista Brasileira de Medicina Do Esporte, 7(4), 125–131.

Silva, J. A. M. G., Hotta, T. T. H., Silva, T. H. da, Almeida, M. H. M. de, & Caromano, F. A. (2017). Desenvolvimento de um programa de promoção da saúde para trabalhadores administrativos. Revista Saúde e Pesquisa, 10(3), 557–566.

Taiana, P., Sousa, D. M., Roberta, A., Sousa, R. De, Sene, E., Tainara, G., & Sousa, D. M. (2017). Sedentary behavior among professionals in the family health strategy. Revista de Enfermagem da UFPI, 6(3), 24–29.
Publicado
2019-12-20
Cómo citar
Tavares da Silva, L., Freitas, C., Garcia, P., Alves, A., & Gomide Matheus, L. (2019). Atuação do profissional de educação física na saúde do trabalhador em um hospital universitário. Educación Física Y Ciencia, 21(4), e100. https://doi.org/10.24215/23142561e100
Sección
Artículos