O desafio didático da educação física escolar: planejar, ensinar, avaliar

  • Ivan Carlos Bagnara Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - IFRS, (Brasil)
  • Paulo Evaldo Fensterseifer Universidade Estadual de Campinas / Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, (Brasil)

Resumen

Com o objetivo de identificar os principais entraves e dificuldades encontradas pelos professores para produzir conhecimentos poderosos na disciplina de Educação Física (EF) e compreender como foram elaboradas as soluções, desenvolvemos uma pesquisa-ação, em que participaram dois professores de EF, docentes numa escola municipal. Os dados produzidos suscitaram debates em torno de alguns elementos da didática, a saber: planejamento, estratégias didático-pedagógicas inovadoras, relação teoria e prática e avaliação. Ao analisá-los, conclui-se que é necessário resgatar a complexidade da docência, algo que vai além da “aplicação” de exercícios/atividades. Nesse sentido, parece-nos que a Formação Inicial (FI) poderia contribuir de forma mais efetiva na elaboração das respostas.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Bardin, L (2011). Análise de Conteúdo. Edição revista e ampliada. São Paulo: Edições 70.

Bracht, V. Caparroz, F.; Fonte, S. S. D.; Frade, J. C.; Paiva, F. & Pires, R. M. (2014). Pesquisa em ação: educação física na escola. 3. ed. Ijuí: Unijuí.

Brasil (2015). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. 1ª versão. Brasília.

Brasil (2016). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. 2ª versão. Brasília.

Caparroz, E. F. & Bracht, V. (2007). O tempo e o lugar de uma didática da EF. Campinas, SP. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, 28(2), 21 – 37. Recuperado em 15 de março de 2018, de http://rbce.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/viewFile/53/61.

Carnoy, M. (2009). A vantagem acadêmica de Cuba: por que seus alunos vão melhor na escola. São Paulo: Ediouro.

Coletivo de Autores. (2012). Metodologia do Ensino da Educação Física. 2. ed. 3ª reimp. São Paulo: Cortez.

Gariglio, J. Â. (2013). Fazeres e saberes pedagógicos de professores de Educação Física. Ijuí: Unijuí.

Gariglio, J. Â. & Borges, C. (2014). Saberes docentes. In: González, F. J. & Fensterseifer, P. E. (Org.). Dicionário crítico de Educação Física. 3. ed. Ijuí: Unijuí, p. 586-590.

González, F. J. & Fensterseifer, P. E. (2006). Educação Física e cultura escolar: critérios para identificação do abandono do trabalho docente. Actas del Congreso de Educación Física: Repensando la Educación Física. Córdoba: Ipef, 734-746.

González, F. J. & Fensterseifer, P. E. (2009, set.). Entre o “não mais” e o “ainda não”: pensando saídas do não lugar da EF escolar I. Cadernos de Formação RBCE. 1(1), 9-24. Recuperado em 15 de março de 2018, de http://revista.cbce.org.br/index.php/cadernos/article/view/929.

González, F. J. & Fraga, A. B. (2012). Afazeres da Educação Física na Escola: planejar, ensinar, partilhar. Erechim: Edelbra.

Machado, T. S; Bracht, V.; Faria, B. A.; Moraes, C. E. A; Almeida, U. R. & Almeida, F. Q. (2010, abr./jun.). As práticas de desinvestimento pedagógico na Educação Física escolar. Movimento, Porto Alegre, 16(02), 129-147. Recuperado em 12 de março de 2018 de https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/download/10495/8924.

Molina, R. M. K. & Molina Neto, V. (2010). Pesquisar com narrativas docentes. In: Molina Neto, V. & Triviños, A. N. S. (Org.) A pesquisa qualitativa na Educação Física: alternativas metodológicas. 3. ed. Porto Alegre: Sulina.

Pich, S. (2014). Cultura Corporal de Movimento. In: In: González, F. J. & Fensterseifer, P. E. (Org.). Dicionário crítico de Educação Física. 3. ed. Ijuí: Unijuí, 163-165.

Rezer, R. & Fensterseifer, P. E. (2008, set./dez.). Docência em EF: reflexões acerca da sua complexidade. Revista Pensar a Prática, 11(3) 319-329. Recuperado em 15 de março de 2018 de https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/4960/4540.

Shulman, L. S. (2005). Conocimiento y enseñanza: fundamentos de la nueva reforma. Profesorado. Revista de Currículum y Formación de Profesorado. Granada. 9(2) 1-30. Recuperado em 12 de março de 2018 de https://www.ugr.es/~recfpro/rev92ART1.pdf.

Tardif, M. (2014). Saberes docentes e formação profissional. 16. ed. Petrópolis: Vozes.

Thiollent, M. (2011). Metodologia da pesquisa-ação. 18. ed. São Paulo: Cortez.

Young, M. (2007, set./dez.) Para que servem as escolas? Educação e Sociedade. Campinas, 28(101) 1287-1302. Recuperado em 14 de março de 2018 de http://www.scielo.br/pdf/es/v28n101/a0228101.pdf.
Publicado
2019-12-20
Cómo citar
Bagnara, I., & Fensterseifer, P. (2019). O desafio didático da educação física escolar: planejar, ensinar, avaliar. Educación Física Y Ciencia, 21(4), e102. https://doi.org/10.24215/23142561e102
Sección
Artículos